domingo, 17 de outubro de 2010

Eu estava propenso a esconder coisas porque eu tinha medo que alguém iria desvendar todos os meus segredos. Eu não percebi que esse alguém seria eu.

( Dr Bishop - Fringe )

17 de novembro de 2010

Atravesso a vida assim
Identificando erros e medos
E fazendo suturas em minha alma
Os dias bons são cheios de libertações
Mas a ele, me prendo cada dia mais
O amor é o que me confunde e me situa
Uma contradição de sentimentos
Que vale pela alegria de ver o sorriso dele pelas manhãs...

Carolina Flores Quintanilha

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Trecho de " Luzes no dia a dia" Dan Millman

Trecho de " Luzes no dia a dia" Dan Millman

“ Em ' A república ' Platão descreve um grupo de pessoas vivendo no fundo de uma caverna, longe da luz do dia, que viam somente suas sombras, lançadas sobre as paredes pelas fogueiras. Aquelas formas escuras eram a sua única realidade, porque eles nunca haviam se aventurado a sair da caverna – na verdade, não sabiam que haviam um lado de fora.

A alegoria da caverna de Platão vai além, descreve como uma pessoa escapou da caverna para a luz do sol do mundo real. Tendo visto a luz, ela retorna à caverna e tenta, se muito sucesso, explicar às pessoas lá aprisionadas a respeito do mundo real lá de fora. Suas palavras não fazem sentido para ninguém, mas alguns companheiros aventurosos ousam ir com ele para cima, para o desconhecido, em direção a uma realidade mais brilhante.
Cada um de nós vive dentro das cavernas de nossas percepções obscuras e distorcidas, vendo não o mundo, mas nossas próprias mentes.
A realidade não é o que você pensa.”

Dan Millman

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Não julgue rancor se você é rancoroso.
Não julgue falta de perdão se você não perdoa.
Não julgue erros se você erra.

Todos nós erramos.

Que religião mais engraçada!

Deus contra o homem
Homem contra Deus
Homem contra natureza
Natureza contra homem
Natureza contra Deus
Deus contra natureza
Que religião mais engraçada!

Daisetz Suzuki

O PODER DO MITO



O PODER DO MITO Joseph Campbell em entrevistas com Bill Moyers. Dizem que o que todos procuramos é um sentido para a vida. Não penso que seja assim. Penso que o que estamos procurando é uma experiência de estar vivos, de modo que nossas experiências de vida, no plano puramente físico, tenham ressonância no interior do nosso ser e da nossa realidade mais íntimos, de modo que realmente sintamos o enlevo de estar vivos. Recomendo :)
Se o tempo de fato não existe, como podemos ter, ser ou fazer amanhã?
Pense nisso por um instante.



Carolina Flores Quintanilha.

Arquivo do blog