terça-feira, 8 de março de 2011

Parabéns queridas Mulheres!

Parabéns queridas Mulheres!

"A mulher é mais intuitiva, mais instintiva. Se ela não meditar, será apenas instintiva. Ela pensa com seu corpo. Ela é mais ligada ao corpo do que o homem, ela conhece mais seu corpo do que o homem; e no corpo encontramos toda a evolução ocorrida durante milhões de anos.

O homem está mais ligado à mente, é mais intelectual. Mas o intelecto é um desenvolvimento muito tardio. Enquanto o instinto é antigo e profundo, o intelecto é superficial e novo, muito infantil. Se o homem meditar, ele terá mais dificuldades para se livrar do intelecto, pois toda a sua educação e criação foram baseadas na mente, no intelecto. E, para meditar, ele precisa deixar de lado tudo o que sabe.

A mulher pode meditar com mais facilidade, porque o salto do instinto para a intuição é muito simples. O salto do intelecto para a intuição é mais difícil, só que, infelizmente, durante séculos, a mulher não teve permissão de participar do mundo da meditação.

Ela tem sido, na verdade, rejeitada por quase todas as religiões. A razão é simples: todas as religiões são contra o corpo, e a mulher é guiada por ele. Ao rejeitar a mulher, elas estão rejeitando a orientação corporal. Elas são contra o corpo. Todas as ideologias religiosas são intelectuais.

A mulher não foi respeitada no passado. Isso deixou o mundo empobrecido sob muitos aspectos, por que a mulher não pôde expressar sua maneira de ver as coisas.

Ela foi forçada a pensar como homem, a se comportar como homem, a ser apenas uma sombra do homem, mas não permitiram que ela fosse ela mesma. Isso era algo muito feio e condenável. Eu condeno isso incondicionalmente.

A mulher deveria ter a permissão de ser quem ela é. Não precisa ser uma cópia do homem, não tem de pensar como o homem. Ela tem de pensar por si mesma, tem de ser ela mesma, e isso dará ao mundo uma polaridade mais ampla.

Quanto mais distantes estejam as individualidades do homem e da mulher, mais profunda será a atração entre eles. Eles deveriam ser estranhos um para o outro – só assim podem se apaixonar um pelo outro. Eles deveriam permanecer misteriosos um para o outro. Só então o amor deles poderia ser uma alegria, uma descoberta constante.

Mas a mulher tem sido massacrada. Seus mistérios têm sido massacrados. Ela tem sido usada somente como uma fábrica de produção – sem receber os direitos humanos básicos. E isso tem deixado o mundo chato, feio.

O homem tem dominado essa relação a tal ponto que a história toda está repleta de guerras. Se a mulher tivesse igualdade de oportunidades de crescimento, o mundo não teria visto tantas guerras. Porque, em todas as guerras, são os homens que morrem, mas as mulheres que sofrem.

A mulher é metade do mundo – se essa metade do mundo tivesse a permissão de se expressar, a história teria sido diferente. Teria sido mais pacífica, mais amorosa, mais sensível, mais harmoniosa. Ainda há tempo para permitir que a mulher seja simplesmente quem ela é, pura, não influenciada pelo homem. E teremos um mundo e uma humanidade melhores.

Não é triste o fato de que as mulheres pensem de maneira diferente. É imensamente significativo e algo que deve ser profundamente comemorado. Mas a mulher precisa de sua liberdade completa. O mundo vive dominado pelo homem já há muito tempo. Já está na hora da mulher ter sua participação em tudo o que está acontecendo. Ela tem de contribuir com sua parte, que será diferente da parte do homem.

E criará um todo mais harmonioso do que fomos capazes de criar até agora. Tem sido um semicírculo. É preciso que se faça um círculo inteiro. A vida tem de ser total – o homem e a mulher juntos, contribuindo com as qualidades inatas de cada um: seus potenciais distintos, suas linguagens diferentes, suas maneiras diversas de pensar, ver e ser."

Osho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog