sexta-feira, 27 de maio de 2011

Abaixo o medo!

Abaixo o medo!

Sabe aquela situaçãozinha chata que tende a se repetir com você?
Quando você acha que está bem, que superou os seus problemas, que está tudo numa boa..." Boooom", aquele seu velho problema te ataca com um bela de uma rasteira!
E então você pensa: " Meu Deus, de novo? Por quê ?".
Ou então: " Por que isso sempre se repete comigo? ".
Ou pior ainda: " Isso sempre acontece comigo." .
Pois bem, você já ouviu falar que o que constantemente pensamos se torna realidade?
Nós tendemos a ter medo do fracasso. E o medo nada mais é do que uma sequência infinita de pensamentos negativos.
Quando estamos bem, sentimos medo de perder o bem que conquistamos (mesmo que seja lá no fundo e a gente nem perceba). E comumente associamos “o perder” àquelas situaçõezinhas chatinhas que relembramos no início do texto.
Explicando melhor: Quando você está bem, a sua mente problemática já logo acha que aquele velho problema vai voltar e estragar com tudo.
E eis o que acontece: Ele volta!
E volta mesmo heim? Se bobear pelo resto da sua vida.
E então qual é a solução?
Pegue o medo e destrua-o!
Descubra o seu lado mais cruel, mais sádico, mais bárbaro e use com seu medo.
Lembre-se daquele filme horroroso e sangrento -que uma vez você viu tampando os olhos- e use-o para destruir o seu medo.
Acabe com ele!
Se você é uma pessoa muito medrosa deve estar pensando: “Ah, mas o medo nos deixa alerta para os perigos, ele nos ajuda a não correr riscos". Não, não, nada disso!
Medo só serve para alguma coisa se ele representar algum perigo físico.
Ou seja, medo de sofrer de amor não serve para $#*&@ nenhuma, mas medo de sofrer um acidente de carro se dirigir bêbado serve.
Mas vai, concorde comigo, 99% dos nossos medos são psicológicos e não físicos.
Agora, a última coisa que você precisa saber: O medo é brasileiro, não desiste nunca.
Você vai achar que acabou com ele, mas ele vai voltar!
Ele é persistente. Então, se você vir que não conseguiu derrotá-lo, siga aquele velho conselho de vovó: “O desprezo é a melhor arma do ser humano.”
Despreze-o, finja que ele nem está ali e siga em frente.
Um dia ele cansa de você!

Carolina Flores Quintanilha

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Conserto para uma alma só - Luiz A.Gasparetto

"Tudo está bem
Apenas
a ilusão pode ver o contrário
E acreditar na dor da fatalidade
Apenas
a imaginação do usuário
Que não respeita a realidade
Tudo está bem
Todas as dificuldades são crenças
Que pela fé se realizam
São todas defesas contra
Os fantasmas que nos paralisam
Tudo está bem
Todos os problemas são situações
Que criamos dentro da mente
São fugas da simplicidade
Que o medo trás do inconsciente
Tudo está bem
Para quem quer acreditar
O destino é um caminho
Que escrevemos ao pensar
Tudo anda certinho
Quando queremos no positivo ficar"


"Não lute mais
Descanse
Não dê força para seus inimigos
Vença-os com o perdão
Não cultive a impaciência
Vença a com a segurança
Não delapide a paz dos outros
Coopere com o silêncio
Não se afaste do seu coração
Una-se a si mesmo
Não dê trelas aos problemas
Vença-os com a luz interior
Não coopere com as críticas
Supere-as com seu desprezo
Não se deixe vitimar
Assuma sua liberdade de escolha
O bem é saber
que o único meio de vencer
É usar a inteligência
com compaixão
Por isso não lute mais
Descanse"

Conserto para uma alma só
Luiz A.Gasparetto

terça-feira, 24 de maio de 2011

Trecho de "Eat, Pray Love" de Elizabeth Gilbert

"Sinto que o destino é uma interação entre a graça divina e o esforço pessoal direcionado. Sobre metade dele você não tem o menor controle, a outra metade está completamente nas suas mãos, e as suas ações terão consequências perceptíveis. O homem não é uma marionete dos deuses, nem tampouco é senhor do seu próprio destino, ele é um pouco de ambos. Galopamos pela vida como artistas de circo, equilibrados em dois cavalos que correm lado a lado a toda velocidade com um pé sobre o cavalo chamado "destino", e o outro sobre o cavalo chamado "livre-arbítrio."

Elizabeth Gilbert
Eat, Pray, Love.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

O fim da ilusão do tempo

O fim da ilusão do tempo
- Trechos do livro : O Poder do Agora – Eckarth Tolle
“... A chave do segredo está em acabar com a ilusão do tempo. O tempo e a mente são inseparáveis. Tire o tempo da mente e ele para, a menos que você escolha utilizá-lo.
Estar identificado com a mente é estar preso ao tempo. É a compulsão para vivermos quase exclusivamente através da memória ou antecipação. Isso cria uma preocupação infinita com o passado e o futuro, e uma relutância em respeitar o momento presente e permitir que ele aconteça. Quanto mais nos concentramos no tempo, no passado e no futuro, mais perdemos o agora, a coisa mais importante que existe.
Por que o agora é a coisa mais importante que existe?
Primeiro porque é a única coisa que existe. É tudo o que existe. O eterno presente é o espaço pelo qual se desenvolve toda a nossa vida. O único fator que permanece constante. A vida é agora. Nunca houve uma época que a vida não fosse agora e nem haverá.
Você alguma vez vivenciou, realizou, pensou ou sentiu alguma coisa fora do agora? Acha que conseguirá algum dia? É possível alguma coisa acontecer fora do agora? A resposta é óbvia, não é mesmo? ...”
“...Na vida diária é possível pôr isso em prática dando total atenção a qualquer atividade rotineira, normalmente considerada com um meio para atingir um objetivo, de modo a transformá-la um fim em si mesma. Por exemplo, toda vez que você subir ou descer escadas em casa ou no trabalho, preste muita atenção a cada passo, a cada movimento, até a sua respiração. Esteja totalmente presente. Ou quando for lavar as mãos, preste muita atenção em todas as sensações provocadas por essa atividade, como o som e o contato com a água, o movimento das suas mãos, o cheiro do sabonete, e assim por diante.
Para medir, sem errar, o seu sucesso nessa prática, verifique o grau de paz dentro de você...”

Beijos,
Carolina Flores Quintanilha.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Arquivo do blog