segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A pessoa adequada

Eu costumava ser aquela pessoa adequada
Que agradava a vontade de outros
Quando mudei minha conduta para o meu melhor
Vi nos olhos de uns, admiração
E no de outros, descontentamento
Pergunto-me quem é pior
Aquele que se deixa abusar
Ou o que abusa
Pois o que abusa não se sustenta em si
E o abusado não reconhece o seu valor
Mas isso nem tem tanta importância
Afinal hoje, os olhos com os quais
Mais me importo são os meus
Estou fazendo apenas o que traz vivacidade
Ao meu olhar
Mas não adianta vir me dizer
Que você não se importa com os outros
Se a roupa que você veste, o lugar que você vai
E a cara que você faz é para parecer bonitinho
Não bata ao peito para dizer que não se importa
Só por que a sociedade diz que é certo assim fazer
Descubra de verdade
Lá dentro de sua alma
Que o que pensam e fazem de você
Realmente não tem importância alguma
Mas que o que você pensa e faz de você
Faz toda diferença

5 comentários:

  1. Seu texto tem tudo a ver.
    Hoje, pela manhã, li uma frase que condiz bastante com sua reflexão.
    Dizia assim:
    "Só dê ouvidos a quem te ama. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. O que te salva não é o que os outros andam achando, mas é o que Deus sabe a teu respeito."

    Com você disse, o que faz toda a diferença ó o que eu penso e faço da minha vida.

    Um bjo.

    ResponderExcluir
  2. Faz todo o sentido, Carolina, porque se não nos cuidamos bem ninguém o fará por nós. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Que texto show, amiga!!! Parabéns! Vc escreve muito bem.
    Sabe, acho que precisamos as vezes (e muito) disso que vc citou: uma espécie de amor-próprio num nível mais avançado. O que quase nunca é aceito, permitido e tolerado pela sociedade, igreja, família, etc.
    A regra geral é fazer td pensando primeiro nos outros e não em si, dando mais valor a opinião alheia do que a nossa mesma. Isso só nos leva a uma coisa: a anulação.
    Adorei.
    Bjos,
    Taís
    amornosingular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Carolina, tudo bem?
    Oxalá um dia, todos possam olhar primeiramente para a sua própria essência e ver maravilhas, potencialidades que todos nós possuímos. Lamentavelmente, muitos vivem de opiniões externas, de aparências e acabam sufocando o que há de melhor: Sua verdadeira identidade.
    Abraços e parabéns pela reflexão.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom. Parabéns! A Família Alcara Tem Razão. a aparencia sufoca o carater. Minha Irmã sempre disse: Os Homens Cavaleiros não sumiram da terra, eles só ficaram feios!!! Aproveitando, gostaria de pedir que seguisse meu blog www.suntechspace.blogspot.com. Ele é muiti-informação e tem um serviço de interatividade... passa lá que vc vai gostar! Obrigado

    ResponderExcluir

Arquivo do blog