quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Deus não existe.

Deus não existe.
Pelo menos não àquele que um dia eu fui apresentada.

Eu tenho desmistificado em mim a ideia paternalista de Deus.

Deus, sendo tão grandioso e inexplicável - como todos aqueles que já se dedicaram a tentar entendê-lo sabem - não pode ser apenas um pai a nos observar.

Deus é a presença feminina e acolhedora quando o chamamos. Deus é a garra masculina quando precisamos. Deus é a força que atrai. Deus é a força que repele. Deus é mar, é vento, é lua, é luz, é escuridão.

Deus pode até ser um, mas ele também são muitos!
Deus é tudo, é todos, são todos!

Talvez, a ideia de que Deus é apenas um, não nos permita ver a sua grandiosidade.

Talvez, seja por isso que alguns repelem a imagem de Maria e de Santos, afinal, como eles poderiam representar Deus, se nos foi dito que ele é um só e nós acreditamos?

Mas por que a presença reconfortante de Maria, não poderia representá-lo?
Assim como, arcanjos também?!

Ou ainda, por que o amor de SUA mãe, querido leitor, não poderia ser a perfeita expressão dos sentimentos dele por você?

Talvez por isso a imagem do Diabo tenha sido criada. Se Deus é um, como a dor e o sofrimento podem fazer parte dele?

Mas e se eu lhe disser que eu vejo Deus na dor?
Que eu vejo Deus no "pecado"?
Que eu vejo Deus nas suas lágrimas?

Eu digo.

Eu vejo Deus em tudo.
E gostaria que você visse também.

Carolina Flores Quintanilha

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Dizem que Religião não se discute. Mas sempre acreditei que se discute tudo. É exatamente isso que pensa, Deus seria este ''Tudo''. Na verdade sou Ateu, mas acharia mais humano que as pessoas acreditassem que esse Deus único não existe. Que pode ser qualquer coisa de material ou sentimental no mundo. E se tudo vem de Deus, o pecado também vem dele. Adorei sua iniciativa, parece que as pessoas seguem a Deus por medo, medo de um suposto inferno. É uma merda essa necessidade de um Deus, isso é porque o ser humano é frágil demais para andar sozinho, precisa sempre de um apoio.
    Alice.

    ResponderExcluir
  3. Olá Carolina, tudo bem?
    Seu texto dá muito o que comentar. Gosto de textos que nos instigam além de nossa mera visão de mundo.
    Filósofos e teólogos como Santo Agostinho e São Tomás de Aquino, ao falarem de Deus, chegaram a uma única conclusão: Deus é o que é, é atemporal, não tem um início nem um fim, é um ser UNO. Mas como explicar um Deus Uno que se divide em Pai, Filho, Espirito Santo, homem, mulher? As partes fazem parte de um todo. Assim como uma única cadeira possui pernas, acento e encosto. Se Deus é bom e pai, porque existe mal no mundo? Será que Deus é mau? Assim como o frio é a ausência de calor, a escuridão ausência de luz, o mal é a ausência do bem. Deus não criou o mal e o pecado. O mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus que é o bem. O mal é o resultado da humanidade de não ter Deus presente em suas vidas.É simples.É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz.
    Quanto a Maria, ainda existem alguns "fanfarões" que confundem admiração com adoração. Mas são poucos. A maioria acredita no papel fundamental de Maria na história do Cristianismo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Olá minha querida Carolina,
    chego até me arrepiar quando leio seus post,sempre há uma sincronia com o que eu estou
    pensando,descobrindo,sentindo...
    Vc já leu a Trilogia,Conversando com Deus,de Neale Donald Wash?
    Sempre fui questionadora e todas as perguntas e
    dúvidas que eu tinha,esse livro me respondeu,digamos que 98%.
    Se vc já leu gostaria de saber sua opinião.
    Bjo grande,
    e mais uma vez,obrigada por vc existir!

    ResponderExcluir
  5. O problema não está na crença da existência ou não de Deus, pois se existimos é porque algo nos criou. O problema está na natureza do criador. O Universo é infinito, portanto, nada pode criar o Infinito, uma vez que nada pode ser maior que ele. Então só nos resta uma alternativa: O próprio Universo é o criador. Mas como o Universo seria o próprio criador? Sabemos que tudo no Universo é regido por uma linguagem matemática. Hoje, os cientistas já sabem queo universo todo é permeado por uma energia. Eles a chamam de Energia Escura, porque não a vêem. Ora, uma Energia infinita e regida por uma linguagem matemática é uma Energia Inteligente. Logo, o próprio Universo é um campo infinito de energia inteligente, mas não Consciente, pois não faz sentido a existência de um ser que não conhece sua própria dimensão, já que é infinito (pelo menos, segundo Huberto Rohden esta forma de consciência que conhecemos). Esta teoria se encaixa na filosofia taoista que diz: Tao (o Universo Imanifesto, Deus) gera Ki (uma energia secundária já pertencente ao universo relativo), pois se divide em Yang e Yin e gera tudo que existe. É daí, talvez, que surgiu a frase “Deus criou o universo” traduzindo como Tao (o Universo Infinito) criou Ki (o universo relativo), somente assim ela faz sentido. E isso me leva ao conceito de que estamos dentro de um CHIP INFINITO, o Universo com todo seu mecanismo interno seria, portanto, um COMPUTADOR INFINITO, não manobrado por alguém de fora como no filme Matrix, mas manobrado por nós mesmos. Qualquer coisa que quisermos fazer podemos, desde que obedeçamos suas leis (manifestadas na matemática, física e química). Para quem quer se aprofundar neste assunto escrevi o livro O MITO DO DEUS PAI publicado pela EDITORA BIBLIOTECA 24X7 e que pode ser adquirido diretamente no SITE DA EDITORA ou na LIVRARIA CULTURA. Ele discute o Universo Inteligente, senhor de sua própria criação. Entretanto, este não é um livro materialista, pois mostra que somos quantidades ínfimas de energia gerada pela vibração da Inteligência Infinita até adquirimos consciência através das sucessivas reencarnações em corpos materiais até evoluirmos para Seres Superiores (Espíritos de Luz).
    Infelizmente, este é um assunto sobre o qual as pessoas se recusam a falar e até a pensar. Elas têm medo, horror mesmo do desconhecido e isso leva ao comodismo de aceitar as explicações burlescas dos religiosos inclusive de que quando se sofre é por que o deus pai gosta muito de nós e está nos pondo a prova para ver nossa o grau de nossa fé. Esta é a desculpa que os religiosos têm par justificar a miséria humana. Como psicanalista posso assegurar que esta é uma atitude de transferência dos nossos pais biológicos que nos protege quando criança para um pai mais poderoso que nos protegerá quando adultos. Recebi um E-mail que trazia uma lenda cherokee da iniciação de um jovem ao estado adulto. Nela ele ficava de olhos vendados a noite toda a mercê de toda sorte de perigos, mas ao acordar e tirar a venda dos olhos viu que seu pai estava ao lado dele o tempo todo. Comparava a mensagem a Deus nos protegendo. Respondi então: Se Deus está ao nosso lado, por que então ele não protege seus "filhos" como o pai do índio e evita tanta desgraça, tanto assassinato no meio do mundo.
    Pedro Cabral Cavalcanti – pcabralcavalcanti@gmail.com

    ResponderExcluir

Arquivo do blog