quarta-feira, 28 de março de 2012

Caminhando para a luz? Não, para o lixão.

Caminhando para a luz? Não, para o lixão.

A atitude que mais trouxe mudanças positivas para a minha vida foi jogar fora -bem longe de casa- tudo o que me fazia mal. Coloquei o lixo para fora em um lugar onde não seria fácil retornar e buscar tudo de volta.

Hábitos, sentimentos, modos de pensar, crenças, atitudes e pessoas.

Pessoas, com certeza, foi a parte mais difícil e a parte que mais choca.

Sim, joguei fora a minha ligação com certas pessoas.

Também acho muito bonito o conceito de que devemos valorizar e tratar bem todos os nossos queridos irmãos. Porém, na prática, não é bem assim que funciona. Se você ainda não é um ser iluminado o suficiente para não se alterar com NADA do que te disserem e fizerem, você estará terminantemente proibido de dar importância a pessoas que lhe façam mal, caso você queira ser feliz.

Apenas se você quiser ser feliz, ok?

Valorizar é conhecer o valor, e não tapar os olhos para o que incomoda.
Tratar bem nem sempre é tratar o outro como ele espera ser tratado.
Guardar boas memórias, não inclui convivência.
E afastar, não significa matar.

O difícil é aceitar que não somos vítimas de ninguém e muito menos vítimas da Vida. Encontre alguém que bata no peito e diga: - Todas as dificuldades que eu vivi, vivo e viverei são de total responsabilidade minha - e você encontrará um pote de ouro.

Quando seguramos nossas vidas em nossas mãos e percebemos que a única maneira de melhora-lá está em nós, começamos a jogar o lixo fora. Jogamos tudo fora, sem olhar para trás. E quanto mais vazio ficamos, mais a vida nos preenche com o novo, com o belo, com o melhor.

Sim, para mim está comprovado que existe uma força que nos traz de volta aquilo que fazemos por nós mesmos ( Eu disse por nós mesmos!). Mas se você ainda não acredita nisso, não há problemas, mais válido um céptico que assume a responsabilidade de sua vida, do que um religioso fanático que não muda nada em si na espera que Deus lhe traga, de mãos beijadas, diversas bênçãos.

Portanto, meu conselho de hoje, caro leitor, é que você faça uma limpeza geral. Não tenha apego, eles não são saudáveis. E por favor, não tenha medo de perder o que já não lhe serve mais. Para quê você vai querer uma blusa furada no peito, querido leitor?

E mais uma coisa: Não me entenda mal. Não estou aconselhando você a se tornar um morador de rua sem amigos, rs. Mantenha aquilo que você acredita que possa lhe trazer algo bom! Mantenha a relação com pessoas que lhe fazem bem. Guarde com carinho as boas lembranças. Dê continuidade a bons hábitos.

E fique sempre, sempre no seu melhor.

Com muita luz, eu lhe desejo um grande abraço.

Carolina Flores Quintanilha

terça-feira, 20 de março de 2012

Os verdadeiros ingênuos


Dizem por aí que os espertos não acreditam nas religiões, pois já se foi provado que muito do que elas ensinam foi criado para dominação da população. Outros duvidam de onde estaria Deus nos momentos difíceis. E outros acham que se Deus existisse, o mundo não estaria como está. São muitas as " falhas de conceito" que fazem as pessoas se tornarem ateias.

Em primeiro lugar eu gostaria que você entendesse que não é preciso ser religioso para se ter fé em algo além do físico.

Em segundo, gostaria que você refletisse em cima de duas questões:

E se as tais "falhas" não estiverem na existência de Deus e sim na forma com que acreditamos que ele age? Ou na forma que acreditamos que ele é?

E se os verdadeiros espertos estiverem descobrindo uma nova e diferente visão sobre Deus?

Que existe um senhor de barbas brancas sentado no céu nos julgando, presenteando ou punindo, eu também não acredito. Acredito menos ainda que exista um serzinho vermelho que é culpado por todo o mal.
Mas que existe uma força maior a qual funciona de uma maneira inteligente o suficiente para mover o mundo inteiro, eu acredito. E que quem se afasta dessa força e cai no buraco negro da maldade e da negativade, cria mais maldade e negativade, eu também acredito.

E não digo isso por que alguém me contou. Eu afirmo por que coloquei essa força em prova, e ela me mostrou o seu poder.

Sugiro-lhe então, leitor, que faça o mesmo.

Busque um novo conceito de Deus. Um conceito que se encaixe em você. E só aceite esse conceito se ele lhe for bom, por que se existe um Deus, ele tem que ser bom. E quando descobrir a verdade, use-a a seu favor.

Se sua vida mudar, volte aqui e me conte.

Um abraço de luz,
Carolina Flores Quintanilha.

Não consigo acreditar que o mesmo deus que nos deu inteligência, razão e bom senso nos proíba de usá-los. - Galileu Galilei

domingo, 11 de março de 2012

Hoje, eu senti paz.

Hoje eu compreendi profundamente a minha eternidade.
Compreendi que tudo passa, mas eu fico.
Compreendi a separação e a união que há entre mim e o mundo.
Compreendi que o externo sempre será reflexo do meu interior, e que ele só terá efeitos negativos em mim se eu deixar.
E com essas compreensões, hoje, eu senti paz.

Livre arbítrio e Destino


De uma forma muito louca, e incompreensível ao nosso nível mental, a vida mescla o livre arbítrio com o propósito da evolução. - Como - eu não sei, mas que ela sempre dá um jeito de que nossas escolhas acabem nos levando para nossa evolução, ela dá. Por isso a chave da vida está em aprender melhor e confiar na vida. O aprendizado ganhamos vivendo e a confiança é a tal da fé. O que nos resta então a não ser o nosso próprio viver?

Arquivo do blog